segunda-feira, 5 de outubro de 7007

"Com os dedos no teclado, a desembaraçar a informação da verdade dos acrescentos da imaginação, tento escrever, construir visões ordenadas do real..."
Foi esta a frase de "O Segredo Perdido" de Júlia Nery, que muito aprecio, que me deu vontade de começar um blog, nesta nova fase da minha velha vida. Espero que gostem e que a mim me dê o prazer que aguardo.

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

.
.
AGOSTO
TROUXE-ME O AMOR
NO ROSTO .

CHAU


domingo, 29 de junho de 2008

Arrivedeci, meus amigos !

.
.
.


.
.

E com esta me vou, queridas amigas e amigos.
APAIXONEI-ME, agora, na minha idade!
.
Não tenho tido tempo para blogar nem fazer o meu giro pelas Avenidas Novas.
Creio ter dito que andava a arranjar os dentes. Pois bem, numa das minhas longas esperas ali, no consultório mesmo ao lado dos Frutas Almeidas, tenho-me encontrado com um "paciente" bem simpático.

Acontece que, num destes dias saímos ao mesmo tempo e entramos também ao mesmo tempo na Suprema, para um cafézito. A partir daí não nos largámos e desde há uns dias que somos "namorados" !!!
Espero que tudo resulte. De contrário aqui virei carpir as minhas mágoas. Por enquanto não tenho tempo e deixo assim o meu blogue
.

Espero que para sempre. Seria bom sinal.
Na próxima semana vamos os 2 para o Funchal passear. Será a primeira vez que estaremos juntos no dia a dia. Presumo que virei tão feliz como estou agora.
Um grande abraço, beijoquinhas para todos vós e

ATÉ SEMPRE !

.

sábado, 21 de junho de 2008

Meco, doce Meco

.
.
.

Hoje, delícia das delícias!
.
Passei todo o santo dia ,

todinho na praia do Meco!
.
Que vermelhusca fiquei!

.
Mas valeu a pena, já que não me podia ver com este tom de branco encardido.

.
Saudades da praia ! Não conseguiria viver sem estes sábados de areia e sol.
.
.
.

sexta-feira, 20 de junho de 2008

.
.
.
.


.
.
.
DE ORELHA COMPLETAMENTE MURCHA !!!
.
.
.
(e andei eu a enfeitar as janelas com bandeirinhas)
.
.

.
.
.

.
.
.
.

domingo, 15 de junho de 2008

de orelha murcha

Hoje estou completamente de orelha murcha! Primeiro a IRLANDA, agora a nossa seleccção abatida por causa do Scolari só nos deixa ficar mal! E PERDEMOS o jogo ! E jogámos que nem uns parvos!
.
E eu tão repimpada aqui na minha santa terrinha alentejana, sob os tufos de mimosas amarelas de que tanto gosto. (e logo hoje que comprei uma mangueira nova na loja do Sr Candido, fiquei sem vontade de me mexer)
.
.
.
O que vai ser de Portugal agora? Ora vejam o que um nosso amigo AQUI diz.
.
.
.

sábado, 7 de junho de 2008

Viva Portugal !

.
.
.

Hoje é que me ia dando um ataque!
.
Emoções para as quais já não tenho idade. Mas enfim, arrastada assisti a TUDO!


E que bem que eles jogaram!
.
Pois é, serão e jantarada com os meus amigos Zé Paulo, Maria de Lourdes, Eugénio e Céu Maria em casa do Armindo.
Já é um costume de todos os anos.

Vive numa casa quase em frente ao CCB, num último andar recuado com um grande terraço sobre a rua dos eléctricos.
.
A algazarra que fizemos ao longo deste belo jogo!
Somos uns grandes malucos!
.
E VIVA A SELECÇÂO NACIONAL!
Somos os maiores! E logo 2 a 0 !!!!

.
Fiquei tão excitada que já nem consegui comer os camarões com cerveja que circulavam a rodos naquele terraço.
E logo à Turquia !!!
.
Grande Noite esta!
VIVA PORTUGAL!

.
.
.

sábado, 31 de maio de 2008

E vivam as avós de Portugal !

.
.
.

Um elogio a uma avó de Portugal!

Uma mulher que admiro, pela tenacidade, e pela inteireza do seu ser! Embora não pertença ao seu partido, torci sempre por ela !
Uma avó que interrompeu a campanha para ir ver o neto que tinha nascido é obra!
E assumiu-o!
O resto é conversa, e o que ela pode oferecer, já todos sabemos.

.
Conheci a irmã dela, professora nos nossos tempos de jovens, na Faculdade de Letras de Lisboa. Casada com o Dr. Flores, o professor coxo da faculdade de então, que todos conheciam e por quem todas as minhas amigas suspiravam, sempre lhes conheci a mesma honestidade que esta irmã também transmite.

.
Parabéns à Dra. Ferreira Leite, pois então (e gosto muito de lhe ver essas madeixas louras que a tornam mais moderna e lhe dão um ar tão doce).

.

.

sábado, 24 de maio de 2008

surpresa, surpresa

SURPRISE !
SURPRISE!
.
.
vejam AQUI !
.
.
não resisti em partilhar convosco esta minha delícia visual,
que me deu um gozo tremendo
enquanto beberricava um chazinho verde e uns biscoititos de chocolate.
.
(mas lá que iam bem pirositos é verdade!)
.
.
.

segunda-feira, 19 de maio de 2008

´.
.
Birmânia


.
.
Johannesburg

.

.
Nápoles

.
.

China

A BORRADA DO MUNDO EM QUE VIVEMOS !
.
.
.

sexta-feira, 9 de maio de 2008

Hoje fui almoçar com dois grandes amigos a uma tascazita (bem boa) perto da Malaposta.
.
Arrozinho de moelas , bem saborosas porque cozinhadas em tomate e cebola, acompanhadas
de vinho tinto Monte Velho. Por fim só café . .

Conversa após conversa, grande discussão com o o meu amigo Zé Paulo por causa do estacionamento caótico que existe nestes arredores pacíficos de Lisboa (os que ainda não têm parquímetros).
.
Tal como o meu amigo Augusto, achamos um descalabro e uma lata do caraças, porem descarada e alarvemente os carros nos sítios que nós, os de meia idade, deveriamos aprasivelmente usar.
.
Não é que o Zé Paulo acha que o sol quando nasce é para todos e que nem só os que têm garagem nos condomínios estilo Amorosa Place devem ter direito a parqueamento ! Segundo ele já que os prédios da Carolina Michaelis não têm garagem então que se usem os passeios!
.
Berrámos tanto os três que ele se foi embora sem se despedir de mim.

.

Ele há coisas !!!



sexta-feira, 2 de maio de 2008

memories are made of pain

.
.
Nos meus tempos, depois da Páscoa, costumáva aos sábados à noite ir para casa do meu amigo João Alberto, filho do médico lá da terra, que fizera da cave da casa dos pais uma "boite" onde dançavamos ao som de:
.
Era um dos meus idolos e eu estava muito apaixonada pelo meu namorado de então, o Horácio Luís. Dançavamos de cara encostada trauteando esta canção.
Até usei o cabelo como o dela !
.

quarta-feira, 23 de abril de 2008

que país !!!

.
.
.
Era só o que faltava ! Li que o Alberto João Jardim poderá ser candidato à liderança do PSD !!!!
.
Primeiro era a Ferreira Leite agora este !!!
Para velha gaiteira basto eu .
Agora armados em gaiteiros ! Ela, coitadita foi empurrada, agora ele !
Ainda fui ver ao calendário se não era uma piada do 1º da Abril. Mas não, era mesmo a sério! Isto é de gritos ! Ai que país este.

Ao lado deles até o Socrates parece um estadista!
.
Em que país de patarecos vivemos nós!

.
.
.

sábado, 12 de abril de 2008

cara ou coroas !


Pois, bem gostava de ter esta boquinha! Já tive, pois, eram assim, mais ou menos, os meus dentes!

Imaginem, no dia dos meus anos, fui jantar com os meus sobrinhos a Campo de Ourique, e, quando trincava a minha saborosa picanha senti que engoli o meu canino (efectivamente era um velho 'pivot' de há anos)!

Tristíssima fiquei. O preço que agora levam os dentistas que não são brasileiros!!!
Os meus sobrinhos acalmaram-me e disseram-me que, se eu preferisse, em vez do Nespresso me pagariam uma coroa nova, num dentista óptimo, que fica mesmo ao ladinho da saída do metro da Av. de Roma, num primeiro andar. Bem, só recebia a reforma dia 10 e nem pensar passar assim o fim de semana! Aceitei! Com a 'cunha' de um deles consegui a consulta e lá fui na 5a. feira.
.
Enquanto esperava, ouvi a 'dona' da recepção dizer a um doente que eram 210 euros sem recibo e 270 com recibo. Fiquei logo desconfiada.
Atendida, gostei imenso do médico. Dá minha idade, mais ou menos, inspirava e dava confiança. Tirou-me uma radiografia panorâmica e mais 3 a dentes "suspeitos".

.
No fim paguei 210 euros com recibo. Mandou-m lá no seguinte para fazer uma coroa provisória. Assim fiz e, no fim de ser atendida, a 'dona' da recepção, já muito chateada por eu ter demorado muito lá dentro e porque tinha de 'apanhar' o comboio, não me queria passar recibo porque se tratava apenas de uma coroa provisória. Que quando eu fizesse a definitiva me passaria a dos dois. Mas pediu 250 euros por esta provisória.
.
Pobres dos meus sobrinhos, não sei quanto custa um Nespresso mas, já pagaram 450 euros por causa deste dente e deverão pagar sei lá quanto pela coroa definitiva.
.
Como é que isto é possível?
Como é que um amor de médico e de sapiência tem a lata de me pedir, até agora, por a coroa de um simples dente (provisória) 200 + 250 euros ?????

.
Como é que isto é possível? E agora terei de fazer o outro, o tal definitivo!
.
Que horror de vida esta, com ladrões em tudo e todos os sítios !!!
.
Já viram isto !
.
.

domingo, 6 de abril de 2008

O tal, o do gostinho especial !

.
(Ele o meu , 'borracho', usa o tal , o Nespresso !)

Deixar-me conduzir ao coração do universo NESPRESSO, ai, ai, quanto eu vou amar !
.
Eu, que tanto gosto de laurear, após dias de crise, sim das minhas crises de tendinites, gripes etc. vi-me reduzida à insignificante presença de cházinhos de tília feitos em casa!
.
Mas, soaram-me uns zunzuns de que os meus sobrinhos, que sabem quanto eu necessito de um café para acompanhar os meus queridos cigarritos, no meu dia de anos (amanhã, pois!) tencionam dar-me a tal maquineta gira,
.
o Nespresso !!!
.
Vou dar pulos de contente!
.
Isto não quer dizer que passo a deixar de ir à minha querida Mexicana.
.
Claro que seria impossível viver sem uma 'bica' !
.
E Nespresso é demasiado modernaço para uma amante dos bons velhos anos 70 mas, em tempos de crise, vale mais um Nespresso do que um chá de tília!
.
Que acham?
.
.
.

sexta-feira, 28 de março de 2008

O que eu me ri meu Deus!
As figuras ridiculas que o mundo de hoje faz.

A sério que dei uma gargalhada!

quarta-feira, 19 de março de 2008


Com esta chuva, nos últimos dias, gaiteira não me tenho sentido. Velha sim: tenho tido bastante frio e a humidade trouxe-me novamente aquelas dores no meu ombro e braço direitos. Pouco tenho saído, só mesmo o indispensável e, em casa, com o meu camisolão castanho e confortável, tenho andado a esgravatar as minhas estantes. E descobri, calculem, um livrinho editado na minha adolescência pela Livraria Civilização, da autoria da Luisa Marias Linares. Sentada, aconchegada no meu maple, as minhas bolachas e o meu leitinho com chocolate bem quentinho, dispus-me a recordar velhas leituras.

Mas, ao fim de ler, com bastante esforço e muita força de vontade algumas páginas, pus, desiludida, o livro de parte. Aquele fascínio que em adolescente senti na sua leitura e, além deste guardo ainda mais alguns livros dela, aquele fascínio desapareceu e, não quero exagerar, mas achei aquilo intragável.

Era a meio da tarde. Liguei a televisão e adormeci em menos de cinco minutos.

.

terça-feira, 11 de março de 2008

BESAME MUCHO

O que eu gosto desta canção!
As recordações adolescentes, ao lado do meu amado Horácio!
Como ele cheirava bem!
Lembro-me muito.
Sei que vive em Londres e uma irmã dele, muito minha amiga, está a morrer.

Como foi possível o tempo ter passado tão depressa. Lembro-me dos bailes de finalistas , desta canção, dos nossos pescoços encostados, enquanto dançavamos, com a sensualidade à flor, timidamente, da pele... namorei-o dos 12 aos 16 anos, doce, docemente.
.

.
.

quinta-feira, 6 de março de 2008

DIÁRIO PORTUGUÊS, de Mircea Eliade.
.
Disseram-me que era um livro a fixar.
Nunca me interessei muito por religiões e Mircea é indissociável da História das Religiões.

.
Contudo, parece-me interessante na medida em que constituiu um diário, enquanto viveu em Lisboa de 1941 a 45.
.
Romeno de origem, intelectual, achou sempre Portugal um país pouco interessante e a leste do resto do mundo cultural. Admirou Salazar enquanto assistia ao desenrolar da II guerra mundial e enquanto via o seu país mudar de dono.
.
Inédito até há pouco, este livro chega agora fesquinho às livrarias (lá vão mais uns eurositos para a miinha querida "Barata").
.
Estou com curiosidade de o ler e poder sentir a ideia que um estrangeiro, que viveu esse crucial período em Lisboa, tinha de Salazar e do país em que se encontrava e observar a sua crítica sobre esse tempo de que tão bem ouvia em casa falar.
.
.
.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

PETER, PAUL AND MARY

.
.
.
LEMBRAM-SE?
.
QUE SAUDADES!
.

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

O Tico Tico

.
O meu querido Tico Tico !
Quantas saudades! Lembrança dos velhos tempos do emprego! Almoçaradas de comemorações, no Natal e nos aniversários dos colegas!

Hoje voltámos lá! Combinámos , os que se reformaram, anualmente fazermos um almoço como dantes. Com as gripes, gastroenterites dos netos e.t.c. só hoje, já com Fevereiro bem entrado, é que nos conseguimos juntar.

Todas e todos tão velhos!!! É verdade, mesmo os mais frescalhotes não podem negar os anos que passaram. O belo bolo folhado com ovos moles, o robalinho com legumes, sempre na esplanada envidraçada.

Depois, Avenida da Igreja abaixo, recordando as lojinhas que permanecem mais ou menos na mesma.

Não tinha lá ido desde que estou na boa vida!

O Centro Comercial de Alvalade (CCA) é que quase se finou. Agora, onde dantes havia uns escritórios, até há um bingo com uma senhora, já entradota, com lacinho na camisette, à porta !!!


Aí, na Praça de Alvalade é que tudo mudou menos as obras do metro que continuam infindáveis e as árvores que se foram!

Os maluquinhos do Julio de Matos, lá continuam, nos corredores do Centro Comercial.

Mas, enfim, estava um rico dia de sol!

.
.



domingo, 17 de fevereiro de 2008

Lembro-me de, haverá uns trinta anos, ter levado o meu sobrinho que teria na altura oito a dez anos, ao meu querido e saudoso cinema Império, a ver o filme "Conan, o Bárbaro".

O actor Arnold Schwarzenegger tinha na altura um físico que fazia inveja aos incipientes praticantes de culturismo, mas, um físico que, confesso, me provocava uma certa repulsa com todos aqueles músculos aos altos e baixos espalhados pelo corpo.
















Hoje, ao vê-lo com os anos passados, e sem os artifícios usados pelo cinema para tornar o que é belo ainda melhor e tornar bonito o que é assim assim, entra em mim uma certa tristeza.

Tudo passa e o tempo passa por nós e deixa marcas. Enquanto essas marcas forem somente estéticas, mal ou bem, cá nos vamos aguentando, com uma pintura no cabelo e uma roupa um pouco mais larga.

Mas quando o tempo nos marcar a outros níveis e sem remédio...

E sinto medo...
.

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

S. Valentim

.
No meu tempo, não havia Dia de Namorados.

Por isso esqueço-me dele e só hoje, no cabeleireiro (a minha querida Anástásia, que me contou toda a festa de Carnaval a que foi, na Liga dos Combatentes) desfolhei uma revista e lá vi, milhares de corações vermelhos e milhares de páginas dedicadas a esse grande dia!!!

Apenas me lembro, isso sim, nesta época, dos divertidíssimos assaltos de Carnaval.

À memoria apareceu-me as recordações duma canção em voga e que foi uma das canções da minha vida (talvez porque então estava a viver um amor estrondoso que nem respirar me deixava...)

Aqui vai ela:

.
espero que gostem !
.

terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

O Ricardinho benfiquista

.
.
Um 'pão', este Ricardo Araújo Pereira!
E vai deixar-nos às escuras, até Outubro!
Como irei sobreviver sem os meus Gato Fedorento?

O próprio Ricardo sabe o quanto nos diverte e, vejam só, disse que 'só não gozava com o Benfica', que é como quem diz : só leva a sério na vida o querido [também meu] Benfica.

Nunca pensei ter algo comum com o Ricardinho!

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

O Pomar das Laranjeiras



As saudades que eu tenho dos Madredeus!

Tudo acaba mas só sentimos isso das coisas boas.

A minha gripe acabou e eu não me pus com filosofices (não sei se a palavra existe mas, faz de conta).

Gostava muito dos Madredeus. Faziam-me lembrar a Banda do Casaco, de quem era devota nos meus tempos de menina e moça.

Ora oiçam lá e digam se não é uma bonita melodia!


domingo, 3 de fevereiro de 2008

Folias de Carnaval

Pois é, queridas-os amigas-os, estamos no Carnaval e eu que tinha decidido comemorar este 2008 sem ponte de Carnaval (todos lá no meu 'defundo' emprego nos degladiavamos por ela) e já com uma ponte vitalícia, fiquei doente com uma malfadada gripe que me arrasou os brônquios.

Nem tenho fumado o que também ajuda a esta melancolia suspeita ('melancolia suspeita' era o título dum dos livros da colecção azul, que eu devorava, não sei se do Max du Veuzit, o inesquecível autor de um dos livros da minha adolescência: 'Um marido ideal').

A minha amiga Estefânia e o seu irmão António, que vivem aqui perto, tinham combinado irmos com outros amigos, num grupinho simpático,
ao Boney M. e Louie Vega no Carnaval do Casino Lisboa.


Festa gratuita pela noite dentro. Esta festa de Carnaval no Casino de Lisboa realiza-se no Arena Lounge na próxima segunda-feira e de entrada livre !!!!

O tema é «Os Loucos Anos do Disco Sound», a festa abre com a actuação da banda Boogie Nights e depois Louie Vega que parece que vai actuar acompanhado por Anané (Elements of Life) e Luisito Quintero (percussão).

Pois, é mentira!!!


Assim, já não posso nem me apetece ir.

Apenas o meu saquito de água quente e cházinho do Tibet me aliviam. Eu já lhes disse que 'amigo não empata amigo' mas não deixo de me surpreender com a minha apatia e falta de vontade para o que quer que seja.

A minha afilhada L.Gabriela e o marido Ricardo, que estiveram em Veneza no ano passado, já se tinham prontificado no empréstimo de uma máscara veneziana, muito bonita, já que ir toda produzida acho que não tinha lata.


Tenho pena mas este ano fico recolhida.

E lembrar-me eu que, há duas semanas, ia a subir a Calçada do Combro e , de repente, ouvi um assobio como davam antigamente quando viam uma raparigaça jeitosa. Espantei-me e, dada a minha vetusta idade, dei por mim a olhar de soslaio para ver donde vinha tal assobio. Fiquei muito triste quando constatei que era um papagaio numa janela, no lado direito de quem sobe, mesmo em frente à Igreja dos Paulistas.

Caio à cama e mais ainda o peso da meia-idade se abate sobre mim.

Hoje não estou nem tenho estado nos meus dias mas, isto vai passar, prometo!

.

.

domingo, 27 de janeiro de 2008


Imenso, imenso! Gostei imenso do Jesus Cristo Super Star do La Feria!!!

O Carlos Sebastião, a Odette e eu, contentinhos da vida, depois de uma bicazita no Solmar lá fomos, às 5 da tarde.

Fui por eles porque o tema não me seduzia mas, confesso , que viemos felizes e contentes.
O público, simpático, vinha até de excursões e de paróquias. Tudo gente entradota como eu o que nos fez sentir mais em casa!

Há muitos anos. tive o disco , de vinil, que ofereci à minha paixão de então. O meu saudoso e doce Marinho.

Tantos anos passaram e ainda me comovo com as canções.

Eles, os artistas, andaram muito bem, sim senhores!

Dos que mais gostei foi dos cantores do grupo dos sarcedotes. E o Cristo era bem bonitinho. Se estiverem tristes, e nas tintas para intelectualismos, vão até lá!
Vão ver que se divertem!

quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

.
.
Li hoje, e a minha alma ficou parva!

Labutei tantos anos e um receio enorme me ficou, em relação às minhas poupanças !

Felizmente, pelo que li, não vão mexer no passado.


Mas estou cansada desta insegurança.

Então é assim:



"Novas regras nos certificados de aforro
.
O Governo alterou hoje o regime jurídico dos certificados de aforro, produtos de poupança detidos por mais de 700 mil portugueses. O método de cálculo da taxa de juro foi alterado, o prémio máximo de permanência aumenta para 2,5% mas só é conseguido no nono ano de subscrição e será atribuído de forma mais faseada ao longo do tempo. Ao fim de dez anos os certificados são reembolsados aos subscritores, o que não acontece actualmente.
Para quem já tem certificados de aforro não há alterações."
.
.

sábado, 19 de janeiro de 2008

.
.
Num Sábado de sol, para sentirmos a alma cheia!
.
ANDA VER O SOL
.
lembram-se?
.
.

molas, tesouras e navalhas

Vindo não sei donde, talvez da zona da Amirante Reis ou da do Chile , o que é certo é que foi um consolo para a minha alma ouvir , num dos últimos dias de chuva, o pregão dum amolador.

“Vem lá chuva”. Era o que se dizia sempre que se ouvia o típico som da gaita de beiços e o cantorolar de "molas, tesouras e navalhas" .

Amoladores!

Há quantos anos os não ouvia ! Encerrada durante tantos anos no escritório, só agora , reformada, me chegam alguns dos sons e cheiros do antigamente.

Este, percorre as ruas transportando na sua bicicleta, quase uma “oficina”. Um sobrevivente decerto deste ofício que já duvidava que ainda existisse.

Lembram-se deles?

terça-feira, 15 de janeiro de 2008

saudades, saudades

.
.
.
Sem mais!
'memories are made of pain' !
recordação comum de muitos de nós .

O meu amado MINI!
Lembro-me ainda da matrícula dele! CV-62-41!

E o que me espanta é que não sei a do que tenho agora (citroen) !!!!!!

.
.

sábado, 12 de janeiro de 2008

Acho-os tão, tão pareciditos!
.
Hoje li, não me lembro onde, que o nosso Menezes adoraria ser o Sarkozy.

E é verdade!
O gigante do bluff e o anão do bluff !

eh, eh, eh...

quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

.
.
.
ORA VEJAM !!!
.
O DITO POR NÃO DITO !!!
.
.
.
..
.
.

quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

adeus a Deus.

Prontos, arrumadas as tralhas do natal, vou partir para outra. As velinhas redondas que comprei baratinhas, em sacos de cem na loja dos trezentos vão de férias. Acendia sempre cinco em vários pontos da casa, simultâneamente. Claro que se apagavam todas ao mesmo tempo e lá ia eu outra vez. Gastei pacote e meio.

A D. Fernanda, a porteira, ao anoitecer ia pôr o caixote do lixo na rua e punha uma velinha igual no presépio do hall da escada. Tinha a sua reserva na caixa do correio. Uma vez que deixou acabar as velas veio a correr a minha casa pedir-me uma emprestada.



A épocada das gulodices acabou. Comprei uma bicicleta para fazer exercício em casa pois começo a engordar e não quero. Para as rugas da cara, que não tenho, é bom, mas não gosto de pneus no meu corpinho. Os quilitos a mais dos fritos hão-de ir embora.

sexta-feira, 4 de janeiro de 2008

.
.
.

.
.
-
.
..
..
.
(não me canço de olhar para esta cara bonita!)


Prontos!
.
Lá vem o meu queridíssimo Miguel Sousa Tavares a falar sobre o BCP!
.
Carradas de razão!
(Já lhe desculpo os fundamentalismos sobre o tabaco).
.
Bonito, sim senhor, o que disse sobre o BCP!
.
Ora espreitem aqui.
.
.
Carradas de razão!
.
Carradas!
.
(OpusDei=Maçonaria,
pois !)
..
.
.

quinta-feira, 3 de janeiro de 2008

HAPPY NEW YEAR

.
.
O que eu me lembrei dos Abba !

Da
minha juventude, de repente lembrei-me de Albufeira onde, há muitos anos, passei a meia-noite a dançar ao som desta canção (tão linda).

E lembrei-me da "boite" Calhambeque" (de antes dos Abbas...) em que tanto rodopiava nas tardes dançantes... Saudades !



HAPPY NEW YEAR
aos meus queridos amigos!

domingo, 30 de dezembro de 2007

.


. . Afinal vim mais cedo e desejo a todos vós,
por quem já sinto carinho,

recados para orkut
___________________________________________________________

[blue]***[/blue] Deseje um Feliz 2008 você também. Entre aqui!



e Não é que engordei nestes oito dias !

domingo, 16 de dezembro de 2007

BOM NATAL

.
Minhas Amigas e meus Amigos (da blogosfera), não resisto ao apelo do consumo e dadas as comprinhas que tenho ainda a fazer, despeço-me até às Janeiras (vou passar o Natal com a minha querida "famelga" alentejana, lá para as bandas de Arraiolos).

BOM NATAL a todas e todos!

Deixo-vos com alguns dos heróis da minha adolescência (quando bastava pensar em Natal para logo sininhos me soarem nas orelhas
).
.

As Metamorfoses

Sendo grande fâ da Graça Morais e também da Agustina B. Luiz, andei a coscuvilhar na net algo sobre "As Metamorfoses", livro que prometi oferecer a mim mesma, neste Natal.

Do "espaço" da Graça Morais ,(http://gracamorais.blogspot.com), retirei este pequeno texto:

"Do "feliz encontro" entre dois dos nomes maiores da cultura portuguesa, nasceu "As Metamorfoses", projecto das Publicações Dom Quixote em que o confronto dos universos artísticos de Agustina Bessa-Luís e Graça Morais dá origem a um livro assolado tanto pelo tom confessional como pelo desnudamento do singular processo criativo das duas artistas".



terça-feira, 11 de dezembro de 2007

Acho imensa graça aos espectáculos do Teatro-Estúdio Mário Viegas. Aquando da última vez que lá fui, já este ano, comprei o bilhete por telefone. Eu não tinha ainda computador e mesmo que tivesse acho complicado comprar por essa via. Chegada lá, levantei o bilhete, que era mais barato, pois eu tinha, já nessa altura, os meus sessenta e cinco acabadinhos de fazer, portanto era bilhete de terceira idade. Ao entrar para a sala o moço que estava a cortar os bilhetes olhou-me e disse, desculpe minha senhora este é um bilhete de terceira idade. Senti-me um bocado irritada pois as outras pessoas estavam ali paradas também para entrar e olhavam a cena. E então?, pergun- tei. -Mostra-me o seu BI, por favor. Mais irritada fiquei por ele estar a desconfiar de mim. Abri nervosamente a mala e mostrei-lhe a identificação. Ele olhou-me e disse: Dou-lhe os parabéns minha senhora, parece ter, no mínimo, menos vinte anos. Toda a irritação me desapareceu instantaneamente: tive vontade de agarrar aquela carinha linda e pregar-lhe um grande chocho.




Sábado que vem vou lá ver "A Bíblia". Quero ir toda "produzida", pois se daquela vez eu ia como ando no dia a dia, e ele me tirava vinte anos, o que irá tirar-me desta vez!

domingo, 9 de dezembro de 2007

.
.
.



A televisão ainda não tinha chegado a todas as casas portuguesas, daí o culto pelo cinema começar bem cedo nos adolescentes e «quase» adultos.

Não escapei!

Sissi Jovem Imperatriz.

Foi quando o "metro" se inaugurou em Lisboa!

Com o meu primo Tucas e com o meu primo Pedro lá fui eu ao Eden ver o meu ídolo!

O poster que espetei na parede do meu quarto e os ralhetes da minha mãe !

Estragar as paredes do quarto !

Que saudades, que saudades !

terça-feira, 4 de dezembro de 2007

os vellhos morrem por aí aos cantos .


dizia ele, no último J. Expresso:

"...........Na passada semana, o 'Público' explicou: em Portugal, os velhos morrem por aí aos cantos, sem família e sem ajuda. As cidades estão cheias deles, sobretudo nos bairros mais inseguros e degradados. E Lisboa é campeã europeia da modalidade, com 160 mil, encaixotados e sós. Porque as famílias os abandonaram, certamente. Mas também porque a velhice não fica bem no retrato, sobretudo numa sociedade que elevou a juventude a patamares doentios. O cenário gera um paradoxo: o mundo de hoje cultiva a longevidade como valor supremo; mas a longevidade é vista com repulsa pelo mundo de hoje. Todos queremos viver mais; mas, se vivemos mais, começamos a viver demais. A prudência e a decência aconselhariam a que as pessoas vivessem a vida por sua conta e risco; e que a ambição desmedida de vidas infinitas, além de irrealista, é sobretudo sinistra num mundo que abomina a velhice. Mas prudência e decência são qualidades que não ficam bem a um fanático."


......... com carradas de razão !
Quão difícil é sobreviver!

sábado, 1 de dezembro de 2007

-Ele e Ela- na Eurovisão (os bons velhos tempos)
.



.
.
.

quarta-feira, 28 de novembro de 2007

Mesas de Camilha / Bailes de Chita

As noites alentejanas são muito frias!
Recordam-me sempre o Natal da minha infância, quando estudava em Évora e vinha a casa de férias.
A minha mãe tinha uma mesa de braseira com uma camilha.

As saudades que tenho de mesas de camilhas, agora que já está um friozito que as apetece.

Na sequeência de recordaçõe veio-me à memória os bailes da chita
que ouvia em directo da Emissora Nacional, numa telefonia em baclite preta (philips).

Vejam este site e a descrição mais completa do que eram os bailes da minha infância:

Baile de Chita


domingo, 25 de novembro de 2007

.





.
.
.
.
.
.

No Sábado passado, em Odivelas, uma das grandes vozes do panorama musical português: Simone de Oliveira.

Como bem me lembro, estreou em público em 1958, no 1º Festival da Canção Portuguesa e deu voz a grandes temas da música portuguesa como
“A Desfolhada”.


Encantou o seu público (eu incluida) no Auditório do Centro Cultural da Malaposta, com temas do seu álbum de 2004, “
Intimidades”.

sábado, 24 de novembro de 2007

.
.
.

Lembrei-me que, sendo principio de mês para muitos, o Colombo deveria estar a abarrotar de gente.

Mesmo assim, lá fui eu cheiricar, como tanto gosto de fazer em shopping-centers.

Tristíssima fiquei !

A Dinlar (onde nunca deixava de ir) está em liquidação total!

O que fazem os Ikeas, Areas, Zaras etc etc!


Rapam tudo!!!

.
.
.
.

quinta-feira, 22 de novembro de 2007

hoje sinto-me , que disparate, com um misto das tristeza e felicidade românticas, com que me sentia muito na minha adolescência.


e lia.

e sonhava.

se o tempo continuar como está, apetece-me passar o fim de semana no conforto da casa.


acho que vou optar por este livro e voltar um pouco àqueles tempos em que, até era feliz.

quarta-feira, 21 de novembro de 2007

Sobre o amor,
falaram-ne neste livro de
Khalil Guibran

Vou tentar encontrá-lo!

segunda-feira, 19 de novembro de 2007

.
. Meu Deus, as saudades que eu tenho deste homem e dos meus tempos de menininha da escola e do liceu! Como eu adorava ve-lo quando me levavam aos Serões para Trabalhadores, no Liceu Camões. Os farnicoques que eu sentia ao ve-lo assim, pequenino e roliçosinho, a mexer-se no palco. E aquela pronúncia!, tudo nele me dizia muito. Não sei porquê, sempre o achei muito sexy. Uma prima minha dizia que era a minha tendência para homens feios. Não era verdade, pois também me apaixonei por homens bem bonitos.

domingo, 18 de novembro de 2007

.
.
.





citando os media:

"A Maior árvore de Natal da Europa inaugurada sábado no Porto

A árvore de Natal, com 76 metros de altura, que é inaugurada sábado na Avenida dos Aliados, Porto, deverá atrair milhares de pessoas e provocar um impacto económico muito positivo, admitiram hoje fontes da autarquia e do Millenium BCP, que promovem a iniciativa. ......."

COMO É QUE HÁ-DE HAVER PACHORRA!!!!!!!!!!!!!!

Hoje, a meio de Novembro!!!
.
.
.

sábado, 17 de novembro de 2007

A todos os meus amigos que não vivem com os filhos...
Serge Reggiani ...

sexta-feira, 16 de novembro de 2007


Transponho do site da F. Gulbenkian a exposição que penso ir ver no próximo fim de semana:

OS GREGOS, TESOUROS DO MUSEU BENAKI, ATENAS
Exposições
De 28/09/2007 a 06/01/2008
10h00 às 18h00
Galeria de Exposições Temporárias do Museu Calouste Gulbenkian


Uma panorâmica sobre a Arte e Cultura da Grécia desde os tempos mais remotos (Neolítico - 6º milénio A.C.) até à independência do país no séc. XIX, após uma década de guerra (1821-1830).

Num aniverso de 157 objectos, vão estar em exibição peças de escultura, cerâmica, ourivesaria, metais, têxteis, arte do livro e pinturas do notável acervo do Museu Benaki de Atenas.


O Relampago está catita, todo remodelado.
Bem português, o almoço domingueiro cheio de crianças e adultos.
Barulho qb , confundindo as marteladas de marisco com os berrinhos dos meninos.
O bife , coitadote é que é já um pouco rijo para os dentes duma "ginja, como eu!
Estou triste e estou contente.
Uma das artérias onde gosto de me passear vendo montras, embora esta Lisboa já não seja nada do que era, é a Av. Almirante Reis.
Esta semana ao coscuvilhar por lá tive um desgosto: fechou a loja Dinlar na esquina com a Pascoal de Melo.
Fiquei triste.
Em compensação, ali a a menos de dez metros abriu uma Galinha Gorda. Fiquei radiante, comprei uma almofada amarela que eu procurava há uma semana e não encontrava em lado nenhum. Na escola da minha sobrinhita pediram a todas as crianças para levarem uma almofada amarela, para se sentarem no chão, já não sei para que actividade é
.


Porta da traição

Quero encontrar-me com vocês
no desregrado convívio,
na balbúrdia dos cafés.
Nos altos bancos dos bares,
nos transportes colectivos,
nos recintos populares.
Nos corredores dos cinemas,
nos inóspitos lugares
onde se mascam problemas.
Juventude, juventude!
Fogo de santelmo vivo
num mastaréu de virtude.
Braços meus, cálices brancos,
aguardam corolas rubras
no declive dos barrancos.
Vinde, vinde, ó flor mimosa,
ó cavaleiro Galaaz,
que em dentes cerrados traz
a promessa de uma rosa.
Vinde, ó fugaz claridade,
antes que a Vida vos tome
e transforme a vossa fome
em "coisas da mocidade".

António Gedeão
Obra Poética
Edições João Sá da Costa
2001

quinta-feira, 15 de novembro de 2007

Imaginem, imaginem... este foi o meu 2º namorado ... tinha eu 16 anos!!!

Como é possível ! E ele que até era bonitote na altura! Como mudou...
E eu agora que não gosto nada de football !!!

Zangamo-nos num baile de Carnaval... eu só tinha "olhinhos" para o meu primeiro namorado , com quem me tinha zangado e que estava a dançar com uma barbie inglesa e ele não esteve para histórias. O nosso romance não chegou a durar um mês ! Cómico, não é?
Hoje nem numa ilha o quereria...

É assim a vida!

quarta-feira, 14 de novembro de 2007

.
.
Outra, das da minha vida ...



.
.

segunda-feira, 12 de novembro de 2007

Por que no te Callas

.
.

.
.

A propósito de EDUARDO LUÍZ , cuja pequena e bonita exposição vi ontem no Palácio Anjos, em Algés, recordo o artigo do Expresso de 13 de julho de 2007:


"Eduardo Luiz (1932-1988)"Expresso/Revista, 07-05-1988, p. 28R (“Na Berra”)

Eduardo Luiz vivia há 30 anos em Paris. Destacara-se nos anos 60 entre alguns pintores portugueses que no exílio então necessário participavam directamente das aventuras do que ficou conhecido como a invenção de uma “nova figuração”, e desde então desenvolvera um itinerário pessoal e solitário acolhido com extremadas reacções. Cesariny incluiu-o entre os poucos surrealistas da sua lista de 1973, mas o pintor negava a atribuição; outros acentuavam um “preciosismo pictural algo poético” (J.-A. França) enquanto Fernando Gil, num texto de uma lucidez rara entre prefácios de exposições (Galeria 111, 1973), situava na pintura de Eduardo Luiz algumas direcções significativas de um futuro possível: “anuncia uma pós-modernidade em que seja de novo possível denotar – mas em que a denotação seja intrínseca à própria linguagem: Balzac depois de Beckett”.
Retrato Clássico, 1981, o/t 124 x 73 cm, Col. Manuel de Brito

Eduardo Luiz juntara um talento virtuosíssimo próprio à liberalidade do ensino da ESBAP dos anos 50, de que ficou a elegância de algumas longilíneas estilizações. Depois, em Paris, as suas “ardósias” ensaiavam na unidade de um mesmo suporte a conjunção de objectos comuns rigorosamente representados com sinais abstractos, escritas e garatujas, onde se abatiam fronteiras de figuração / não-figuração.
O reconhecimento da originalidade do seu percurso viera cedo, por exemplo com a ida à Bienal de S. Paulo e o prémio do Salão da Jovem Pintura na Galeria de Março, ambos já em 1953. As exposições individuais suceder-se-iam no ritmo de uma produção lenta e reflectida, entre Paris e Lisboa, as últimas respectivamente em 1987 e em 1982 – nos últimos anos o seu interesse por disputar lugares em Portugal pareceu diminuir.
Vale a pena, agora, ultrapassar facilidades de catalogação que situavam a obra de Eduardo Luiz como um modo de pintura erótica, como código surrealista e surrealizante, mesmo se a citação de Magritte é uma presença certa (ver foto – Portrait Classique, 1981). A criação pictural, como uso significante de citações e de fragmentos, a pintura como “recapitulação de vestígios”, assim a auto-definiu, era no princípio dos anos 70 uma atitude inventiva. O virtuosismo evidente não era vazio, a astúcia de um jogo de complexas cadeias significantes traduzia o esforço de “partindo da arte abstracta, fazer uma pintura que o não seja”, recusando também a “escrita pessoal, a caligrafia”: um rigoroso projecto mental. Eduardo Luiz morreu em Paris há exactamente uma semana, devido a um súbito acidente de saúde.revisão de pontuação em 13/07/2007
Em Julho de 1990, o CAM apresentou uma retrospectiva de Eduardo Luiz comissariada por José Sommer Ribeiro e Maria José Moniz Pereira. Catálogo.Em Abril-Maio de 1989, exposição e livro, Eduardo Luiz, Ygrego (depoimentos e antologia).
Ver "Eduardo Luiz: crítica da crítica", Expresso/Cartaz 11/08/1990, p.10-11."Eduardo Luiz e António Areal - Questões de método", Expresso/Cartaz 18/08/1990, pag. 8.tbJoão Pinharanda, "A mentira da pintura" e "Diálogos Norte/Sul", Público A Semana, 20/07/1990, p. 12-13.José Luís Porfírio, "Alusão, ilusão", Expresso/Revist, 28/07, p. 65REmídio Rosa Oliveira, Retrospectiva de EL, Sete, 2/08Rui Mário Gonçalves, "EL, um perfeccionista" / Gracinda Candeias, "Em memória de um grande amigo" / Cristina Azevedo Tavares, "A pintura como xeque-mate", Jornal de Letras, 14/08
Posted at 13:28 in
1988, Eduardo Luiz, Registo
Technorati Tags: , , ,
Digg This Save to del.icio.us "

sábado, 10 de novembro de 2007

Jacques Brel

uma das canções marcantes, na minha vida,
um dos icons da minha juventude ...
quão belas eram (são) as suas canções !
.

.
IKEA

Não posso evitar o fascínio que exercem em mim os shoppings centers!
Está tudo lá, tudo limpinho, ausência de carros, tudo parece o país do Merlin!

Ontem fui com uma amiga ao IKEA dar uma volta e tentar escapar umas semanas ao burborinho demasiado da época natalícia.
Gostei ! tudo parece ao nosso alcance!
Comprei um banco branco com pintas azuis para dar ao meu sobrinhito Filipe , no Natal.
Vão até lá! É divertido !